21 de agosto de 2000
Amar ao próximo

"Amar o próximo" não significa "amar o semalhante". Se fosse isso, seria mole. Não é difícil o flamenguista amar outro flamenguista.Ninguém precisaria morrer na cruz pra isso. Difícil é ele amar o vascaíno.

Também não pode ser "amar o seguinte"... Mundano demais, volúvel e cínico, irônico e amargo demais. Vulgar, comum demais, é o que mais se faz - querer ver o outro ceder e depois se entediar.

"Amar o próximo" só pode ser "amar o que está perto". Só pode fazer sentido se propor o absurdo - senão, não poderia ser divino.Absurdo e óbvio ao mesmo tempo. Divino. O simples. Pois seria ama o próximo seria dizer ama qualquer coisa, tanto faz - ama, seja o que for, o que estiver perto de você, do teu lado, aqui e agora - ama. Será teu modo humano de amar sempre e tudo - como Deus.

Mas, afinal, o que é amar? A gente fala, fala... Amar, Amor talvez sejam as palavras que que a a gente mais ouve - a gente tira pelas músicas que tocam no rádio. Pegue o hit parade: quantas vezes se diz a palavra amor - amar ...E o que é amor, afinal?

Só não pode ser - de cara a gente vê - isso que se diz amor nessas músicas do rádio - essa coisa sempre desigual, sofrida de frustração e falta - "pra que rimar amor e dor"?

Amar é só uma coisa: prestar atenção. Só isso. E basta.

"Presta atenção no que está perto" - é o que então significa "Ama o próximo". Parece mais fácil, não..?

Amor tem de ser uma coisa mais tola, melhor. Amar é atenção. Por isso se chama "afeto"... Por isso cinema é tão bom... Amar é só isso. Mais nada. Preste atenção no que está perto. Aqui e agora. E esqueça todo o resto. Esqueça: é o que diz o Sermão da Montanha. Deus provê que vêm. Deus é tudo e tudo é Deus. Não há razão portanto pra que te distraias.