A cozinha do Café

COZINHA
Criei uma página no Facebook, o lugar onde pretendo reunir os leitores mais assíduos e interessados em ajudar o Café a crescer. Para entrar na cozinha, clique aqui

Não sei se vale a pena criar um espaço semelhante no Orkut. Confesso que sou um péssimo administrador de comunidades, fóruns, redes e coisas afins. Mesmo essa página no Facebook eu não tenho a menor idéia de como usar. Enfim, se alguém tiver uma idéia, por favor, se manifeste.

Como somos todos aqui essencialmente leitores, penso em reativar um fórum que criei há tempos no Tangler. Minha inicial é que a coisa funcione independente de mim. Quem estiver lendo algo interessante, indica e comenta o livro ou o tema e por aí vai.

LEITURAS
Conseguimos criar o primeiro grupo de leitura das Meditações Metafísicas, de René Descartes. Assim que terminarmos – e de acordo com o resultado alcançado – criarei outro. Minha idéia é reunir no máximo quatro pessoas por grupo, com 12 encontros, um por semana, com uma duração, portanto, de três meses.

Queria dar aula de Redação. Comecei a elaborar um curso, mas ainda não terminei. Adoraria que aparecessem interessados, porque seria um estímulo para acabar.

Acho também interessante criar fóruns de discussão e leitura de livros ou temas específicos. Cabala, por exemplo. Quem quiser, faça sugestões.

SERVIÇOS
Eu gosto muito de fazer revisão de textos – ou como chamamos em jornal, copy desk.

Ainda que inclua a revisão ortográfica e gramatical, o foco desse tipo de revisão é o estilo e a consistência argumentativa. Ou seja, se o texto de fato diz com clareza e concisão aquilo que pretende dizer. É a última e definitiva revisão e a mais importante.

Porque chega um momento em toda criação literária (qualquer uma: de um slogan de campanha a uma tese de doutorado) em que o texto torna-se opaco aos olhos do criador e ele já não sabe se o que escreveu está bom ou ruim. Na verdade, sua opinião oscila de um extremo a outro. É nessa hora que entra o copy desk.

Isso vale para textos em geral e também para o conteúdo de sites.

É certo que um dos critérios para a avaliação de um site é a qualidade que o leitor/consumidor atribui ao seu conteúdo. Erros de ortografia e gramática, falta de clareza, prolixidade, abuso de jargões técnicos, modismos (quem ainda suporta ler aquela bobajada: “objetivo, missão, etc, por exemplo?) são o caminho para o fracasso.

Gasta-se uma fortuna com “engenharia” e “arquitetura”, chega-se a um site visualmente bonito e funcional, e se tenta economizar no desenvolvimento do conteúdo – que é, no fundo, o que importa.

Quem estiver interessado, entre em contato no ahc@cafeimpresso.com.br .