Pé na jaca


E por falar em pé: “O dólar baixo, a carga tributária e a concorrência chinesa continuam fazendo estragos na indústria calçadista brasileira. Depois de a tradicional Samello ter atrasado salários, demitido a maioria dos seus funcionários e entrado com pedido de recuperação judicial (uma espécie de concordata) em Franca (SP) , a Azaléia demitiu 234 dos 280 funcionários de sua unidade em Itaporanga D’Ajuda, na região centro-sul do Sergipe.”