Notas de filosofia: sobre a ética 2

Falava sobre a compaixão como fundamento da moral.
(Repito: neste momento não destingo entre ética e moral, trato-as como sinônimas)

Lembrei do lema da revolução francesa: “Liberdade, Igualdade, Fraternidade”.
Ou seja: só a fraternidade é capaz de conciliar idéias absolutamente opostas como liberdade e igualdade.

2 Comentários

  1. Oi querido, Muito me encanta passar por aqui e vê-lo dissertar sobre Filosofia…por isso, dou-me a liberdade de deixar aqui meu recado…Ética e Moral distinguem-se, essencialmente, pela especulação da Lei. A Ética, refere-se à norma invariante; a Moral, à variante. Contudo, há uma relação entre ambas, pois a sistematização da segunda tem íntima relação com a primeira.O comportamento ético não consiste exclusivamente em fazer o bem a outrem, mas em exemplificar em si mesmo o aprendizado recebido. É o exercício da paciência em todos os momentos da vida, a tolerância para com as faltas alheias, a obediência aos superiores em uma hierarquia, o silêncio ante uma ofensa recebida, o “respicere” a individualidade do Espírito. Por isso você foi muito feliz em colocar ética/moral/compaixão como uma tríade de sustentação do caráter humano.Acostumados a confundir os meios com os fins, não conseguimos visualizar claramente o fim último da existência humana. Por isso, o erro crasso de conceber a Moral como um mero e fastidioso catálogo de proibições. O fim do homem é, pois, o de realizar-se, pelo exercício de sua liberdade, a perfeição de sua natureza/essência.Genericamente, a esperança é toda a tendência para um bem futuro e possível, mas incerto.Tenho esperança num mundo mais ético e compassivo , pois acredito na Humanidade.beijoRita

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *