O Instituto Rio Vermelho e as Farc

Reinaldo Azevedo publicou a tradução de uma entrevista de Marco Aurélio Top Top Garcia ao jornal francês Le Figaro. O que mais me chamou a atenção foi o trecho: “Acusá-las [as Farc] de terrorismo não serve pra nada quando a gente quer negociar.” A gente quem?! O que essa gente quer criar é um “fato consumado”: existe uma negociação a despeito do governo colombiano. E isso, sim, é inaceitável.

Há um esforço premeditado para desqualificar e isolar o governo eleito da Colômbia em favor das Farc. E o Instituto Rio Vermelho – que, para nossa vergonha, substituiu o Itamaraty na condução da diplomacia brasileira – participa ativamente dessa farsa.

Com as cabecinhas plantadas em 17, essa gente parece esquecer que na era da internet a mentira tem de fato pernas tão curtas quanto as de Lula e Top Top Garcia. E o mesmo mau hálito. Os manuais de desinformação e contrainformação do século passado precisam ser reescritos. Mas falta à guerrilha narco-comunista (adorei essa expressão que aprendi com a Nariz Gelado) aqui e lá inteligência suficiente.