As “obrigações familiares” do governador de NY

O NYT denunciou o governador do estado de Nova York, Eliot Spitzer, por usar os serviços de uma casa de prostituição de luxo, a Emperors Club VIP. Não, meninos, não adianta… O site da casa já está fora do ar. Pelo visto, nos EUA, esse tipo de denúncia é considerado propaganda negativa e não marketing gratuito.

Spitzer nem pensou duas vezes: junto a mulher e as três filhas e se desculpou publicamente por “violar minhas obrigações familiares”. O problema é que autoridades federais granpearam um telefonema do governador contratando os serviços de uma moça para atendê-lo em Washington. Acontece que esse “tráfico” é crime e agora o governador pode ser obrigado a renunciar.

Será que a moça vai parar nas páginas da Playboy de lá? E por que não na daqui – afinal, é nossa especialidade transformar delinqüentes ou quase isso em celebridades.