O ombudsman e a Fundação Nacional da Informação

Li no Reinaldo Azevedo trechos da entrevista do novo ombudsman da Folha, Carlos Eduardo Lins da Silva. Comparando a influência dos blogs no Brasil e nos EUA, em certo momento, Lins e Silva diz o seguinte: “No Brasil, é parecido, mas é muito menor porque é pequeno o número de pessoas com acesso à internet e que lêem esses blogs. Mas cria-se um mal-estar por causa do radicalismo de alguns deles, que não argumentam, ofendem. Descem a um nível que nem se pode chamar de debate. E isso contamina o tal formador da opinião pública, que muitas vezes lê esses blogs e acaba sendo contagiado pelo radicalismo, o que cria situações artificiais.”

Ah, tão bonzinho o Lins e Silva! Quer nos salvar… Pois a mim, irrita essa visão, digamos, tutelar. Para ele, somos todos índios – sem direito a reserva – e precisamos da proteção dele e de outros para nos salvar dos blogs malvados que nos querem corromper.

Uga! Buga! Lins e Silva para presidente da Funai – Fundação Nacional da Informação (opa! mas esse cargo já não é do Franklin Martins?)

Aliás, nessa batida, já está na hora de se criar o Movimento dos Sem-Reserva, porque todo mundo já está pegando um pedaço do Brasil: MST, quilombolas, índios fajutos; até o Evo Morales anda pensando em pegar o Acre de volta…