A Rússia no Caribe e o imimente ataque ao Irã

“O governo da Rússia confirmou ontem que enviará uma frota militar para o Caribe para realizar exercícios com a Marinha da Venezuela. Será a primeira vez em que naves de batalha russas farão manobras militares na região desde o fim da Guerra Fria. O exercício, que não tem data, mas pode ocorrer ainda este ano, foi anunciado dias depois de os Estados Unidos terem atracado navios militares em portos da Geórgia — país que ainda está parcialmente ocupado por tropas russas — para a entrega de ajuda humanitária. As manobras contarão com o cruzador de propulsão nuclear Pedro o Grande, o contratorpedeiro Almirante Chabanenko e outros navios de guerra. Pedro o Grande é um dos maiores e mais bem equipados navios do mundo, só perdendo em tamanho para porta-aviões. Antes das manobras, aviões anti-submarino estacionarão na Venezuela para apoiar o exercício. O envio dos navios de guerra foi confirmado pelo porta-voz do Ministério do Exterior russo, Andrei Nesterenko.”

O Globo Online

“According to a recent article (in Hebrew) in the Israeli daily Maariv, Israel’s top political and security officials have taken a decision to attack Iran’s nuclear program if nothing else is done to halt it. Senior journalist Ben Caspit writes that ‘the debate between those who think everything must be done, including a military operation, to stop Iran from obtaining a nuclear bomb and those who think one can live with it, has been decided. If the Iranian regime doesn’t fall during the coming year, if the Americans don’t deliver a military blow and if the sanctions don’t break the Iranian nuclear program, Israel will have to take action. In other words: the preparations for an Israeli military option…are already underway.'”