Mais dois textos sobre a crise

O Fernando Rodrigues, da Folha, escreveu um post que achei excelente.

“Prepare-se agora para o fim de semana. Milhares de análises na mídia sobre a “estatização” (sic) nos EUA. Ou sobre como os norte-americanos provam de seu próprio veneno ao terem de intervir nos mercados, logo eles que “não regulam nada”. A impressão é que essa bobagem vai frutificar para sempre.

Quando se considera as regras e as leis que valem, de verdade, não há país mais regulado no mundo do que os EUA. O Brasil certamente tem muitas leis, mas quase nenhuma é levada a sério. Nem a Constituição.

Sobre a tal “estatização”, besteira. O governo dos EUA deseja manter o sistema de livre mercado. Em toda a sua história, o Estado de lá sempre fez intervenções na economia. Alguém já ouviu falar do “New Deal”?” clique para ler mais

* * *

Mas que torce contra ou tem uma visão conservadora e pessimista, recomendo o artifo do Jeffrey Nyquist deta semana, que não deixa a menor esperança quanto ao futuro da economia americana e da cultura ocidental.

“The Russian leadership is consistent in its policy. Talk of Russia’s “partnership” with America has always been a smokescreen. The Kremlin seeks to justify future military action against the United States and has long been building a case. The Kremlin wants America cut off from its allies, and has patiently waited for the advent of financial collapse as the signal to push hard for Europe’s neutrality. As explained in previous columns, this is the basis of Russia’s recent turn of policy.” clique para ler mais