A volta da Grande Rússia

A matéria que segue – excelente – dá os dados suficientes para se construir uma idéia muito exata do que é a Rússia de Vladmir Putin. Quero falar mais disso depois, u massunto que me interessa muito. Tenho até uma “interpretação conspiratória” para a crise americana que envolve a Rússia, a Alemanha e a criação da Eurásia. É, minha trama é uma delícia…

Segue a matéria, publicada ontem no Globo digital, com alguns grifos meus:

Rússia reabilita Nicolau II
Suprema Corte considera fuzilamento do último czar ilegal

Do New York Times, em O Globo 02.10.08

Nove décadas após sua execução, o último czar da Rússia e sua família foram reabilitados, ontem. A Suprema Corte russa declarou a reabilitação total de Nicolau II e reconheceu os Romanov como vítimas de “repressão sem justificativa”.

A decisão é o capítulo mais recente da revisão da História pela Rússia pós-soviética.

A monarquia, castigada com brutalidade na época comunista, agora é lembrada com nostalgia e recriminações às sete décadas de regime soviético.

Culpado por guerras, fome e colapso social Na antiga Rússia comunista, Nicolau II foi retratado como facínora, culpado por guerras, fome e colapso social. Mas na Rússia nacionalista surgida após a queda do comunismo, Nicolau II é tido como visionário e inspiração da fé ortodoxa russa. A Igreja Ortodoxa Russa, que canonizou os Romanov como mártires em 2000, recebeu a notícia da reabilitação com entusiasmo.

— É um passo importante para limpar a história da terrível mancha do assassinato do czar e sua família. A imagem da família real mudou — disse o portavoz da igreja, Vsevolod Chaplin.

Na decisão de ontem, a Corte reverteu um veredicto dado em novembro, segundo o qual os Romanov não poderiam ser reabilitados porque sua execução foi considerada um ato criminoso e não de repressão política. O novo veredicto reabilita todos os membros da família real.

— Essa é a decisão final — afirmou o porta-voz da Suprema Corte, Pavel Odintsov.

Em julho de 1918, sob ordens de Lenin, o czar, sua mulher Alexandra, as filhas Olga, Tatiana, Maria, Anastácia e o herdeiro do trono Alexei, de apenas 13 anos, foram executados a tiros no porão de uma casa em Yekaterinburgo, na região dos Urais.

Os corpos dos Romanov foram mergulhados em ácido para tentar impedir sua identificação e enterrados secretamente. Os restos mortais de Nicolau, Alexandre e três de seus cinco filhos foram descobertos em 1991, quando a URSS chegava ao fim. Em 1998 foram enterrados em São Petersburgo. Os corpos dos outros dois filhos continuaram desaparecidos até agosto de 2007, quando um arqueólogo de Yekaterinburgo descobriu fragmentos de ossos perto do local onde os outros Romanov tinham sido enterrados. No início de 2008, autoridades russas anunciaram que testes de DNA haviam provado se tratar de Alexei e Maria.

— A decisão mostra a supremacia da lei contra a tirania — disse German Lukyanov, advogado da grã-duquesa Maria Vladimirovna, descendente da família Romanov e que entrara com um pedido de reabilitação de seus parentes há três anos.

Lukyanov disse que entrará com pedidos de reabilitação para vários outros membros da família Romanov mortos pelo regime comunista.