O fim do impresso e a desmaterialização das coisas

Comentário postado por mim na revista Época, numa matéria sobre o fim dos jornais impresso:

“Quantas páginas vc lê do jornal que compra ou assina? Quantas compras vc fez recentemente influenciado por anúncios de jornal? Por outro lado, quanto tempo até chegarmos a um veículo digital com a portabilidade e o preço do papel? E há outro fator pouco explorado: a, chamemos assim, “inércia etária” ou “inércia das gerações”: quem manda de fato ainda pertence ao “tempo do impresso” – e resiste.

Some tudo isso, bata bem, e responda: quant tempo até não haver mais impressos? Dez anos? Quinze?

Imagine um Kindle do tamanho de um livro, mas dobravel e que seja também celular… Ah! E ainda nem começamos a trabalhar com a idéia de “imaterialidade” definitiva: quanto tempo mais até que o jornal seja um “holograma de alta densidade” projetado de um… anel no meu dedo? Demais pra vc?”