do que vêem os olhos

Enderrio

Essa paisagem me encanta. É minha, cotidiana, a vista da Baía de Guanabara de algum ponto entre a Lapa e o Catete/ Flamengo, exatamente as fronteiras do meu mundo, que também sobe até o Cosme Velho, a leste, tendo de fronte o mar da Baía, onde nasce o sol.

O Outeiro da Glória, exuberante simplicidade barroca, uma das mais antigas construções do Rio, está de frente para entrada da Baía, primeira construção com que se deparava o navio depois da árdua travessia do Atlântico. Vista assim do mar a igrejinha imponente tem algo de navio ou arca que acolhe.

Essa vista é minha, de muitos outros ângulos: Baía, Pão de Açucar, Cristo.

Minha dúvida é onde está o pintor: sob o ponto de vista da imagem, ele está à direita, isto é, para os lados do Flamengo, Catete. Mas o ângulo é o mesmo, me parece, de alguém que olhasse da ladeira de Santa Teresa, na subida que dá no Convento das Carmelitas, também um dos caminhos mais antigos do Rio (como a Broadway, em Nova York, que é anterior à própria cidade…).

Mas… (continuo depois)

Enfim, se é assim, se ele está na direita porque o que vê ao fundo não é a entrada da baía, mas os morros da Serra do Mar, o pintor estaria no morro do Costa Bastos, toda a região monstanhosa que foi oculta pelos prédios e que separa o Catete das Laranjeiras, que vem beirando a Bento Lisboa, da a volta no Parque Guinle subindo até o alto da Pereira da Silva e descendo dali até Laranjeiras.

Talvez fosse interessante ver no Google Maps…

Pois é, olhando pelo Google Maps, a impressão que dá é q o pintor está em algum ponto extremo do morrote ao fundo do Outeiro, mais ou menos no ponto onde hoje existe uma enorme escadaria que desce para a Praia do Flamengo. Essa é, de todas, a escolha mais provável de ser a verdadeira, até agora.

Mas, pela distância do Outeiro, talvez pudesse se a vista de algum ponto da ponta do Flamengo, ali na altura do Morro da Viúva.