outra praia magnífica. aguas claras e calmas, a areia macia, fina, limpa, o sol cálido, envolto em névoas, em nuvens, em nada, tudo a depender da brisa incerta.

havia umas correntes puxando para fora e era preciso dançar com o mar, avançar e recuar, fincar pé, deixar-se ir, correr, parar, rodopiar até.

muito bom.

o estrondo das ondas, a espuma efervecendo aos meus pés

1 Comentário

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *