Mein Kampf no cinema

Vem aí o Mein Kampf de Lula. A piada é que não podia mesmo ser um livro.

O lançamento poderia ser assinado pelo próprio Goebbels (ainda que todos nós saibamos que nenhum Barreto é Leni Riefenstahl): “Ligadas ao governo Lula, CUT e Força Sindical negociaram promoções para a exibição. (…) A ideia é que sindicatos ligados às centrais vendam ingressos antecipados, até 20 de dezembro, por R$ 5. O DVD do filme também deve chegar ao mercado a preço popular (R$ 10). (…) A estreia será feita em mais de 400 salas, sendo que 88 delas não fazem parte do circuito convencional.”.

O livro em si que serviu de fonte para o roteiro, “O Filho do Brasil”, de Denise Paraná,  é muito informativo e relata uma cena que obviamente deveria ser a abertura do filme SE OS BARRETOS SOUBESSEM FAZER CINEMA.

Aconteceu quando Lula tinha acho que sete anos e a família esperava numa venda perdida no sertão de Pernambuco a chegada do pau de arara que os traria para SP. De repente, o menino vê um homem ao longe vir caminhando no ar em sua direção! Maravilhado, levou alguns segundos para perceber que o homem usava alguma coisa para operar o milagre. O que era? uma bicicleta! Era a primeira vez na vida que Lula via uma.

Essa cena para mim explica e resume quem é Lula. Mas, claro, não deve sequer ser aproveitada pelos Barretos.