A igreja do empobrecimento global

Estava lendo uma matéria hilária por sua seriedade lá no Reinaldo Azevedo: clique aqui para ler.

“Bloco africano” é uma delícia! Dá bem o tom carnavalesco do negócio. Ainda que pareça mais com Halloween: “mais grana ou catastrofes”.

É genial o trecho: “os fundos necessários para que os países em vias de desenvolvimento façam frente à mudança climática”.

Mas que mudança climática, afinal? A q vai acontecer daqui a 100, 50, 20, 5 anos ou se está falando da enchente da semana passada? Chegaremos então a um mundo em que cada fenômeno climático terá uma “cotação” que variará segundo um “certificado de antropogenia” que será dado , claro, por alguma ONG, claro, paga pra isso.

Um “Bolsa-Catástrofe” global e entre nações. Pô, o Lula ainda acaba mesmo presidente da ONU.

Ele já demonstrou que não só não é preciso falar qualquer idioma para ser um “líder mundial”. Não se precisa nem falar coisa com coisa.