13 Comentários

  1. Amigo, A lua é prata, mais se veste de dourado quando sensual, provoca ao longe o sol.
    Na canção se diz que “A lua é dos namorados”, porem acho
    que ela é mais dos poetas.
    Ao ve-la por inteiro no ceu, com o sorriso a mostra-labios, imagino que nasceu dela o misterio de provocar.
    E a mente vai passeando como ela pelas estrelas, revendo cantos e encontros, na mais tempestiva manifestação de vida, a despertar os sonhos… a alimentar a vida.
    Adorei sua pagina de Notas. Parabens.

  2. Num primeiro momento, no meu proprio deslumbre, que nao se divide com ninguem, mas depois vem o desejo especial de dividir com quem se ama – isso que o inconsciente coletivo espalhou e romantizou nas diversas artes. Inevitavel…

  3. …e, trazendo o mar p/ o amar…desconfio q, mesmo a arquitetura de amar , mesmo ela, é o mar, eqto signo de liberdade. E, pq o amor é fardo? Posto que é, vejo isso, assim, feito o mar é denso.

    Ulisses só volta a Ítaca, pq já morava nele tanta batalha e tanto mar. Não fosse, tinha permanecido na ilha da deusa Calíope, a perfeita.
    Desde muito jovem intuí essa ideia do amor, uma construção da liberdade, executada por duas pessoas apaixonadas.E sempre digo isso a meus amigos jovens, mas essa é outra conversa que fica pra próxima.

  4. Fiquei pensando …se existe arquitetura tb no mar. Ou se nele vibra o acaso, o descompasso nas formas. De q estação, vibração,são as coisas do mar?
    O mar não traça, não risca, não projeta. O único projeto é ondular.

  5. Achei bonito, Rose. Por isso me permiti corrigir um erro de digitação: galope e não galote, como estava. E fiquei pensando nesses dois amores ao mesmo tempo mar e arquitetura…

  6. A paixão é inevitável. Mas o amor é o auto de fé pra domar bicho selvagem que no galope, amassa gerânios e joaninhas, no veloz.
    Amansar o selvagem, sem transformá-lo, amestrado; construir-lhe abrigo no descampado. Que venha o vento. E – aí tá o difícil – inventar-lhe a arquitetura, por que segui-la: mesmo e, até na hora quando o tresloucado dá coices, irado no tédio e querendo o libertas quae. Que vá!
    Amor é projeto pra tão curta vida. Quem quer construir a ponte segura a linha de pano, começa aí. Se o outro largar…Babau!Dá trabalho,mas talvez se crie um novo, que sempre é filho, mesmo coisa da alma, vela de barco. Mas se vela, de mar jamais visto.

  7. Agora mesmo assisti um por do sol e a luz não me cegou. O amor há de ser alguma sabedoria – ou é só paixão cega. De qq maneira, somos nós que escolhemos quando e para onde olhar…

    Não, não disse q quem ama se ilude, correspondido ou não. Nem falei em nunca mais. “Para sempre” e “nunca mais” são expressões q só os mortos podem usar com precisão. Acho, sim, que há no amor muito desencontro – a sabedoria está na espera, talvez, na coordenação dos passos dessa dança…

  8. Um amor modifica meu olhar para a lua quando nela vejo refletida a luz do meu sol. E eu sei bem em quem estou pensando… Mas, essa certeza minha ainda não é razão suficiente para o sublime. Quase lá. No máximo, é razão para me perguntar se é mais dolorosa ou mais prazerosa…
    Olhar no olho da lua e se reconhecer lá… faz você se sentir a pessoa mais feliz do mundo, mais amada do mundo. “Pronto, o mundo é meu.” Então, é hora de “agarrar às coincidências”… escorregar pela lua e se deixar envolver por ela.
    Você falou daquela dupla percepção… e assim está coberto de razão.

    Vamos ver se eu entendi: para você quem ama alguém e não é correspondido é um iludido porque fica sonhando com algo que jamais terá na realidade? Só encontra na lua?
    Muito tagarela eu, não é?! rs…

    Rose eu acho que eu consegui provar que consigo olhar para o sol. Por muito mais que 10 minutos!!! rs… xD

  9. Experimentem olhar fixo para o Sol durante 10 minutos. Veja se consegue pensar em alguém. Que sejam 5 minutos! Não há pensamento ou amor que resista à cegueira provocada pela luz. A lua é luz mínima no vasto breu. Amor é isso? Sei lá.

  10. Ter alguém em quem pensar não é exatamente o que eu acho que importa. O que eu quis dizer foi que é em quem vc pensa diate de uma lua dessas o que define de quem vc gosta e com quem quer estar.

    Mas, no fundo, no fundo, talvez quem tenha mesmo razão é você: o que importa é ter alguém em quem pensar, mesmo que esse “pensamento” não seja recíproco. (Na verdade, na verdade quase nunca é: a vida é um desencontro é é por isso que devemos nos agarrar às coincidências ou ter paciência para esperá-las)

    Entrevistei Mario Quintana e ele me disse que o que importa é amar, estar amando, mesmo se não somos amados por quem amamos.

  11. Mmm… Será que sou tão orgulhosa assim… que guardo no fundo, no fundo, só para mim?! Não, não seria orgulho… só resguardo. Orgulho faz perder… é bobo. Resguardo também. Mas o que importa, e você tem toda razão, é ter alguém para pensar… porque pensando eu tenho. De alguma forma tenho. Só isso é pouco (essa forma, quero dizer)… e eu me importo com “só isso”. E esse “só isso” me amola taaaaanto. rs… É como uma criança que vai na praça e vê o balanço pra lá e pra cá… acha lindo, tem vontade de fazer isso com ele mas por medo de se machucar, não vai… Lembro de um post seu que falava mais ou menos assim: um menino que só olhava. Estou tagarela hoje, não estou?! Deve ser a lua… rs.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.