Aposta ganha

Eu apostei que “Lula, o filho do Brasil” seria um fracasso. E nem precisei ver: os Barretos não sabem fazer cinema. Dei uma pesquisada por aí, coisa rápida, e descobri alguns números que “arredondo” e repasso: em 15 dias, 473 mil espectadores em 324 salas, menos de 1.500 por sala. Alguém quer se dar ao trabalho de calcular por sessão?

Outro dado importantíssimo: o boca a boca foi negativo, ou seja, da primeira pra segunda semana o público caiu pela metade. Enfim, resta agora tentar passar em quermesse no lugar da “Paixão de Cristo”.