Vozes

Engraçada essa experiência de trocar a crônica pela ficção em forma de capítulos de folhetins. Além dos personagens de As Sereias de Copacabana, outros, de outras histórias, passaram a “frequentar” minha mente, que anda mais movimentada do que centro espírita. “Ouço vozes”…  E como falam esses personagens.

Chego a pensar que exista mesmo um “outro mundo” habitado por personagens, “gente” que por força da imaginação criadora de ficcionistas, acabaram ganhando alguma “forma de vida”.

Fora, por exemplo, um Hamlet, que de tão “encarnado” e comentado, talvez já tenha mesmo virado um espírito humano…

2 Comentários

  1. Errei, escrevi mal…

    Pense que as pessoas com as quais você conversa na net – e nunca as viu- podem ser personagens. Você pode pensar isso, não é? Analise.
    O que garante que um texto de e-mail é essência duma pessoa?
    E por aí vai…Não são literatura , à grande. Mas o que é literatura? Vale um passeio ao ABC da Literatura do Ezra Pound?

  2. Pense se as pessoas com as quais você conversa na net – e nunca as viu – não são personagens. Sim, somos narradores em primeira pessoas, desconte a qualidade do narrador,claro. Mas somos um enredo, delimitamos tempo , espaço. E, sobretudo, recriamos a realidade à qual você não tem acesso.
    Há há há. E agora? Pirou?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *