(…)

Eu amo os silêncios da noite (…) os muitos silêncios que se sucedem e sobrepõem, sujos de vida, úmidos (…) meu mais íntimo desejo (…) como alguém que finge dormir (…)  não constranger a mão que carinhosamente o afaga na semiescuridão do quarto (…)