louis lavelle

“O pequeno livro que vamos ler exprime um acto de confiança no pensamento e na vida. No entanto, em épocas conturbadas, os homens na sua maioria não se deixam comover senão por uma filosofia que jus-tifique o seu padecimento perante o presente, a sua ansiedade perante o futuro, a sua revolta face a um destino que são forçados a sofrer, sem serem capazes de dominar. A consciência busca uma amarga fruição nestes estados violentos e dolorosos, onde o amor-próprio está bem vivo, que pelo próprio impulso que imprimem ao corpo e à imaginação, nos dão, por fim, a ilusão de termos penetrado na raiz mesma do real. Não é senão aparentemente que se aspira a sair do seu cativeiro; temer-se-ia antes que não fossem suficientemente agudos, como um punção cujo movimento se quedasse incompleto.

Então a consciência lança-se na solidão, de modo a melhor se sen-tir entregue à infelicidade do abandono; obriga-se a si mesma a descer a esse abismo de miséria onde o nada a envolve, onde nenhuma voz lhe responde, onde as forças da natureza parecem coligar contra ela a sua indiferença e a sua brutalidade. Quer-se que haja uma espécie de impotência, de desespero e de maldição que sejam inseparáveis da refiexão. Para a libertar, nada mais se lhe pode pedir do que renun-ciar a si mesma, escutar a voz do grupo, tornar-se a serva do instinto de dominação e colaborar numa tarefa temporal que, permitindo-lhe ultrapassar-se, a faz esquecer a inquietação da sua vocação eterna.”

Louis Lavelle, A Presença Total

3 Comentários

  1. Por coincidência acabei de ler este trecho no original, não lembro se na Presence Totale ou De L’Intimite Spirituelle.

    Lamentável constatar que a atualidade é caracterizada por tais problemas. O mau existencialismo tornou-se regra. Mas Lavelle vive, e seu legado é mais necessário que nunca.

  2. Complexa e pertubadora a idéia da consciência esquecer-se da sua vocação. No entanto, a alienação (a voluntária até) é uma realidade.

  3. Complexa e pertubardora a idéia da consciência esquecer-se da sua vocação. No entanto, a alienação (a voluntária até) é uma realidade.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *