um fio de cabelo seu

Esse fio de cabelo seu, de tão seu, bem poderia servir de prova da sua presença aqui em algum momento do passado. E, no entanto, é um fio de cabelo igual a qualquer outro,  em qualquer tempo ou lugar, atemporal e universal. Ele é você e a humanidade inteira. Um pedaço de história e a eternidade. Perecível e imutável. Meu amor e quase nada.

Assim também esta gota d’água, que escorreu do copo sobre a mesa e aí ficará até evaporar-se por completo, é a mesma água desde o começo dos tempos que apenas cumpre o seu ciclo incessante de ir e vir do céu para a terra e da terra para o céu, assim como os pássaros, os peixes e todos os seres.

Tudo é um e Um. Tudo passa e permanece. Tudo é incessante e imóvel. Tudo acaba e nunca morre. Isso é óbvio e incompreensível.

1 Comentário

  1. Não é por mero jogo de palavras ou frívolo exercício de falsa humildade que Sócrates dizia saber que nada sabia. Ele e outros tantos. Só o sábio percebe com clareza a impossibilidade de colocar em palavras – de sequer pensar, na verdade – a imensidão que ele apenas – e a muito custo – chega a intuir, a vislumbrar.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *