liberdade

A consciência da eternidade, o espírito, confere ao temporal, o corpo, disciplina e não desmesura. Aquele que se sabe de algum modo eterno em – ou a despeito de – sua realidade presente e finita ganha uma dignidade, um senso de nobreza e medida, que é a matriz de sua própria liberdade.