Egito

É louco pq se a coisa do Egito se espalha e se cria uma frente muçulmana para destruir Israel (que é de fato a causa do probelam palestino) juntam-se em proporções explosivas todos os componentes: o religioso, o escatológico, o economico, o politico, o estratégico, o civilizatório. Se entre os muçulmanos prevalecer a destruição de Israel como prioridade e fator de união, é obvio que a Europa mas sobretudo os EUA defenderão Israel – ainda que a opinião publica do Ocidente tenha sido preparada para rejeitar essa ajuda. Se a esquerda ocidental tomar o partido muçulmano – e isso vai depende muito de como a Russia se posicionará – ainda q de qq modo, uma parte dela tomará certamente – a resistência interna pode abalar o moral dos líderes democráticos contra o avanço da teocracia.

E se a coisa chegar a esse ponto, todos aqueles componentes citados acima sobem a niveis explosivos mesmo. Perder Israel significa expulsar o Ocidente do norte da Africa. A moral que isso vai dar aos muçulmanos da Europa deve assustar os europeus.

O petroleo, claro, vai ao alto e a Russia ganha o poder inesperado porque fornecedor e potencia militar. A pressão de cristãos a favor de Israel será poderosa.

Por outro lado, se os mçulmanos da India se manifestarem as tensões entre paquistaneses e indianos irá nas alturas.

Claro, se tudo ficar na retórica, tudo bem. Mas se desencadear um processo de tensão crescente, não vejo como pode acabar bem.

* * *
Ahm sim! Me parece obvio que o dólar deve subir.