Os jesuítas e o Brasil

Ontem eu comentava que a primeira preocupação de Anchieta no Brasil foi criar uma gramática do tupi que os indios falavam, gramática que existe até hoje. Ou seja, criou uma ferramenta de ensino e registro por escrito.  Quis fazer uma distinção entre “registro por escrito” e “registro oral” que os indios tinham.

Porque isso ilustra bem o salto civilizatório e tecnológico. E também a graça respeitosa do salto: Anchieta como que entra na cultura tupi e, “de dentro para fora”, começa a agir sobre ela. A cultura indigena não se perde, mas se pode ver COM SEUS PROPRIOS OLHOS de outra perspectiva.

Anchieta, como se sabe, era jesuíta.

Por coincidência, encontrei esta entrevista onde logo na primeira resposta se falasobre “ser moldado por jesuitas…” (clique para ler)