3 Comentários

  1. Bem, a geriatria tem feito clientes com menos de trinta: de início diziam tratar-se de profilaxia (e, pensei então, de fenômeno mercadológico, naturalmente); depois li que consideravam aspectos do envelhecimento iniciados nessa idade. Parece que, do viés do geriatra já estamos no descenso há mais tempo do que supúnhamos.

    Na verdade, meu irmão, basta ser engendrado para que se dê a partida de todo o processo de desagregação (um dia a ciência o dirá sem titubeios). A juventude não é exatamente uma subida, mas tão-só um levantar-se do berço, de imediato seguido pelo longo tropeço. Mas é como você sugeriu há pouco: cai a carne para que se eleve o espírito – caso ele se dê conta de que é esse o jogo e, claro, caso o consiga. E, enquanto sobe, que tal cantar um ponto e aumentar um conto?

  2. Quando não estamos mudando? Quando não somos o mesmo? Totalidade e incompletude: somos lagarta, borboleta, casulo e mariposa simultanea e incompletamente. Os 50 têm já uma perspectiva interessante: do alto, descendo. A menos que haja algum segredo, este corpo finalmente se dá conta que perecerá. Mais do que nunca, o espirito exige algo que o eternize! Mais dificil de suportar talvez do que alguma essencial contradição insoluvel, mais dificil de suportar exatamente por sua beleza, é essa multiplicidade algo incoerente que somos, quebra-cabeças, papel picado. Pereceremos, esses todos que somos – sem por isso ser legião. Um dia – é o que esperamos, nós os que lêem e escrevem, incansavel e preguiçosamente – um dia acreditamos que nos será dado vislumbrar um sentido verdadeiramente imprevisivel, impensável como a que as vezes temos nos sonhos. Li hj acho q numa pichação de banksy que diogenes disse que mais vale um pensamento bem formulado do que mil frases-feitas. É isso!

  3. Fico pensando se as lagartas sofrem ao terem de entrar para os casulos. Talvez seja para elas somente como é para nós ir às noites para a cama.

    A meditação teve por mote o longo sumiço e justamente depois do post anterior. Imaginei o quão difícil estava sendo a metamorfose para os 53. E pelo jeito deu em borboleta, embora ‘logo no começo’ parecesse indicar que daria em mariposa.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *