a pedra evanescente

Quando tudo acabar ou quando nos sentirmos mais próximos do fim, perceberemos de fato o valor das palavras que, do seu modo precário e delicado (mas imbuído da altiva nobreza de tudo que resiste), nos terão resguardado da inexorável voracidade do tempo. Então nos veremos de novo jovens e belos, de novo nós como sempre fomos sem que sequer soubéssemos de todo o que éramos. E tudo fará sentido porque não nos parecerá vã a vida que tivemos. E sentiremos por nós uma ponta de orgulho e uma ardente compaixão ao nos revermos assim esculpidos na pedra evanescente das palavras.