“No homem “deificado” o eu se apaga como centro de decisão, e o self, centro da totalidade psiquíca, o “Cristo interior”, à maneira de um sol brilhante, ilumina o caminho.”
Dora Ferreira da Silva, in Angelus Silesius, a mediação do nada.