a bailarina

Na precária corda que antes sustentava um cenário idílico mas dolorosamente gasto, a trapezista arrisca seus primeiros passos de bailarina. Indiferente à vida virada ao avesso, ela avança, elegante e concentrada. A experiência do trapézio há de preencher a solidão dessa nova travessia. Não há mais a ilusão de quedas monumentais, nem de alguém que lhe ofereça a mão do outro lado. É um solo, mas ela não está sozinha: uma legião de anjos nutre-se de sua fé e tornam o ar mais seguro do que o chão – sem que isso lhe diminua a emoção ou o mérito.

(Para acessar o site do genial Banksy, clique na imagem de sua comovente bailarina)

[podcast]http://www.cafeimpresso.com.br/wp-content/uploads/2012/09/04-Tonight-The-Streets-Are-Ours.mp3[/podcast]

6 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.