urca

Não pude evitá-las. Olhar esta singela e quase anacrônica paisagem é como contemplar mistérios dolorosos. O que fiz (o que fizemos) do amor?

* * *

a água e o fogo

Há tanta beleza em tudo que você faz,
há tanta beleza em você, tanta força.
Quem pode mais, a água ou o fogo?
A luz é a tua matéria prima,
mas há um rio que corre em você;
e há o mar onde ele deságua.

Há a delicadeza do rio de não exibir a força que tem;
há a humildade da luz de ser invisível a olhos desatentos.

Há tanto em você.
Tanto que é preciso muito amor, muita generosidade,
para que tudo à volta não pareça tristemente pequeno.

* * *

urca