A “mão invisível” da Rússia

Jeffrey Nyquist e Christopher Hitchens são meus jornalistas favoritos no momento, porque me dão uma leitura mais estratégica do que está acontecendo, a despeito de um ser “de direita” e o outro “de esquerda”.

Em seu último artigo, Nyquist escreveu algo que eu intuí aqui como “hipótese conspiratória”: a crise americana é real mas está sendo manipulada para que seus efeitos tornem-se devastadores. Por exemplo, a pressão para que Bernanke, o presidente do FED, focasse na inflação provocada exatamente pela elevação dos preços do petróleo e dos alimentos foi enorme.

Ben Shalom Bernanke não é bobo e percebeu o óbvio: que esses custos eram momentâneos e externos, portanto, nada tinha a ver com os fundamentos da economia americana e adotou a política inversa, atacando a ameaça de recessão.

Adotou uma política de oferecer recursos de curto prazo para que as insituições fosse se acomodando e assim a bolha imobiliária maericana já comemora um ano sem que a prevista recessão mundial tenha acontecido.

Ele e Sarah Palin deram as duas grandes bordoadas que podem custar a eleição de Obama presidente do mundo.

Agora vejamos o que escreve Nyquist em seu último artigo:

“And then there is the economic game, intended to push capitalism over the brink. It is not that Russia has caused the West’s economic problems. But Russia’s mastery of clandestine instruments provides a tool for pushing the West as it totters on a financial cliff. According to an Associated Press story, titled “Study Links Oil Prices to Investor Manipulation,” a curious coincidence emerges in the data. Analysis shows that a massive “stampede for the exits” in the oil market began on July 15. This date marks a turning point in Russia’s strategic direction, when the Russian president gathered all his country’s diplomats to a meeting in Moscow.

A clever analyst has written to me on the subject of oil price manipulation: “What if the rise in oil was deliberately done in a coordinated attack? Using multiple business fronts, using foreign government monies, using lies about production levels to drive up the price to the bin Laden price of $144 to hurt the U.S. economy and sucker everyone into a long position in oil, then drop the bottom out of oil….”

If you create a trend, the herd follows. This is well known. And the financial herd is no exception. Why was there a “massive stampede for the exits” on July 15? Who triggered it?

Perhaps the United States is under financial attack. We know that the country is being encircled through maneuvers in Latin America. At the same time, the U.S. is being isolated from its European allies, financially hobbled by a combination of its own blunders and poorly understood market manipulations. ” leia mais

Essa é exatamente a minha ‘hipótese conspiratória”: a economia americana é forte demais para sofrer um “ataque especulativo” direto, mas tem sido alvo de ataques que visam a atingir o aspecto mais imprtante, essencial mesmo da economia americana e, por tabela, de todo o capitalismo: a confiança.

A mídia amestrada tem amplificado os aspectos negativos e ignorado os positivos para provocar o descrédito e o pânico, mas a atuação de Bernanke tem sido magistral.