8 Comentários

  1. isso nem é pecado, muito menos mortal. buscar justificativa – compreensão – é coisa do bem, é entender u atitude q pareceu erro – coisa de ideia conservadora – mas não foi erro. tanto q busca explicar-se . Solte-se, desencuque. Muito axé!

  2. Eu acho que eu estou destoando de vocês. Vcs estão num tom mais alto, falando em culpas, psicopatas. Eu falo de gente comum, anônima – feito eu. Que mesmo errado, por orgulho custo a enxergar APENAS o meu erro e tento por todos os meios “contextualizá-lo” de modo a torná-lo justificado. Ou quando mesmo me admitindo errado, reluto em pedir perdão ou reparar meu erro. Nesse caso, um pecado pode ser mesmo mortal, tornado mágoa.

  3. o psicopata é doente, sabe q errou, mas seu desejo ultrapassa o limite – entre o bicho e o civilizado. o psicopata é digno de perdão.Rezemos a ele – mas precisa ser encarcerado feito pantera.

    Pq matar é de Deus, que sabe a imperfeição de suas criaturas – pó que se quer argamassa de ouro? – e daí intervém em intuição, epifanias… Deus se dá.

    Pecar é saber o q faz, sentir o incômodo – culpa ! ( esqueça Freud e não esqueça também) – e mesmo assim, repetir o erro. No mais, há inocência. Já o pecador contumaz sofrerá efeito de seu exagero, e nem se trata de carma, penso em energia ruim mesmo na qual ele se atola ad eternum.

  4. Hummm… talvez o ar, mas não chego a tanto, pq afinal essa ambiguidade é do humano. Estava lendo o Genesis. Sabe do que mais gostei? A imprevisibilidade do gesto humano. Ou talvez se pudesse dizer “humanizador”, mas aí não sem controvérsia. Mesmo que tenha se irado, não terá Deus sentido alguma admiração por sua criação, a seguinte à criação de céus e terras… “E da terra brotava um vapor…” achei isos lindo porque logo depois diz que deus junto o pó e fez o homem – coo se houvesse uma relação entre o vapor e o pó de somos feitos. E também imagino agora como o animo que Deus tb lhe sopra. Vapor, sopro, o dizer de deus “faça-se”

  5. Eu pecador me confesso. Por minha culpa, eu peco. Todos pecam. Tanto por mais… quanto por menos, então…
    Mas eu insisto… quem não sente culpa de nada é psicopata. E será que o Senhor perdoa os psicopatas? Eles sabem o que fazem…
    Com essas reflexões tão reflexisvas eu me perdoo, porque Deus na sua infinita bondade me deu livre arbítrio. Não preciso de ninguém julgando se peco ou não. Só cabe a mim mesma. O maior pecado é esquecer seu eu. (rs…) Aí, sangra… sangra que eu sei.

    Você faz teologia??? Deve ser superinteressante!

  6. quem dá de ombros ao pecado não sabe o que é pecado. É um pobre inocente, mesmo que seja corrupto, um assassino” Perdoa, Senhor, não sabem o que fazem”. Só consciêcia do pecado traz o arrependimento. Como alcançar essa consciencia? O trabalho é feito o de carregar pedras sentindo o sangue escorrer nos pés de tanta bolha, é uma chance q nem todos tem. Sei lá por quê.

    A palavra pecado é antiga, precisava ser revitalizada , quem sabe assustasse os venais. Mas nao é assim que se faz, então…

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *